Carlos Martins: “Não podemos andar todos os dias a mudar factores” como a TGR (COM VÍDEO)

O secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins, anunciou no 10º Fórum Nacional de Resíduos que a Taxa de Gestão de Resíduos (TGR) sofrerá apenas uma pequena actualização “com prudência e de forma a não causar perturbação” aos agentes económicos que já tomaram determinadas decisões de investimento.

 

“Vamos eventualmente revisitá-la, mas de uma forma muito mais minimalista do que alguns gostariam. E porquê? A TGR está definida para um período de quatro ou cinco anos. Não podemos andar a mudar todos os dias factores com que os agentes económicos contam quando definem o seu plano de investimentos fazendo as contas na base de determinado racional. Alterar esse racional cada dia que passa perturba investimentos que são muito significativos”, defendeu.

 

O secretário de Estado admite no entanto que a TGR é um instrumento que permite alterar comportamentos e pode ajudar a “criar as condições para que a hierarquia da gestão de resíduos possa ter maior transparência económica”.

 

À margem do evento Carlos Martins explicou por que razão considera que esta postura não é contraditória. "Esses sinais têm que ser dados mas para o ciclo seguinte da TGR. Num próximo ciclo poderemos dizer que a TGR terá um agravamento em determinado tipo de tecnologias", argumentou em declarações ao Ambiente Online.

 

O 10º Fórum Nacional de Resíduos decorreu a 19 e 20 de Abril, em Lisboa, e foi organizado pelo jornal Água&Ambiente, uma publicação do Grupo About Media.

 

VIDEO

 

(Ana Santiago para o Ambiente Online)