Carlos Raimundo: “Publicação da lei dos solos é prioridade para o país”

O assessor da direcção da AEPSA (Associação das Empresas Portuguesas para o Sector do Ambiente), Carlos Raimundo, um dos oradores do 10º Fórum Nacional de Resíduos, considera que a publicação da Lei dos Solos, cuja consulta pública já decorreu, constitui uma das prioridades para que o país “fique dotado de legislação adequada em matéria da requalificação dos solos contaminados”.

 

O controlo ambiental, fiscal e logístico dos movimentos dos resíduos, bem como a simplificação administrativa, quer para as empresas, quer para os organismos públicos, que se poderá obter através das e-GAR, há muito reclamadas pelo sector, justificam igualmente ter a atenção máxima para implementação de uma Plataforma Única de Registo de Resíduos na opinião de Carlos Raimundo.

 

“O incompreensível e penoso arrastamento que tem vindo a verificar-se nos últimos anos quanto à publicação da nova geração de licenças das sociedades gestoras de fluxos específicos de resíduos justifica, por si só, a urgência em se ultrapassar rapidamente este limbo jurídico”, destaca por outro lado.

 

No ano em que o Fórum Nacional dos Resíduos comemora o 10.º aniversário, o jornal Água&Ambiente foi ouvir algumas das principais entidades e personalidades do sector para identificar alguns desafios e oportunidades que se avizinham num futuro próximo e que serão abordadas durante o evento.

 

Carlos Raimundo é presidente da Interfileiras (fileiras do papel/cartão, plástico, vidro, metal e madeira), presidente RECIPAC – fileira do papel/cartão (AEPSA; AFCAL; ANIPC; APIGRAF; CELPA) e Membro do Conselho fiscal EMBAR - fileira da madeira e participará no painel do primeiro dia do evento, 19 de Abril, que abordará “Como enquadrar a Taxa de Gestão de Resíduos ao serviço do Sector para o alcance das metas”.

 

O 10º Fórum Nacional de Resíduos decorre a 19 e 20 de Abril no Sana Malhoa Hotel, em Lisboa, e é uma organização do jornal Água&Ambiente, uma publicação do Grupo About Media.