Verdes/ALE querem saber que futuro para os TMB financiados pela Europa

O Grupo dos Verdes/ Aliança Livre Europeia (ALE) quer saber que medidas vai a Comissão Europeia tomar em relação às unidades de TMB (Tratamento Mecânico e Biológico) de resíduos projectadas ou construídas, com o apoio de fundos comunitários, tendo em conta que o novo pacote da economia circular adoptado em Dezembro prevê estas unidades apenas em casos excepcionais.

 

A pergunta, que está a aguardar uma resposta por escrito, foi colocada pelo eurodeputado croata  Davor Škrlec a 28 de Janeiro.  “A Comissão tenciona usar a sua influência para alterar os planos de gestão de resíduos dos Estados-Membros nos quais estas unidades são, em alguns casos, classificadas como projectos estratégicos? Se sim, como?”, questiona o deputado.

 

O eurodeputado interroga ainda a Comissão Europeia sobre como pretende compatibilizar esta visão com os acordos de parceria da política de coesão existentes e com os programas operacionais dos estados – membros.

 

A Comissão Europeia apresentou, a 2 de Dezembro, um novo pacote de economia circular que implica uma mudança de paradigma na gestão de resíduos.

 

No dia 17 de Fevereiro, durante uma conferência sobre economia circular, um dos vice-presidentes da Comissão Europeia, Jyrki Katainen, sublinhou que um dos objectivos da comissão nesta área passa por evitar a sobrecapacidade no tratamento de resíduos, nomeadamente no que diz respeito à incineração e TBM.

 

“O impacto da Economia Circular no Sector Nacional dos Resíduos - Ameaças e oportunidades” é o grande tema do 10º Fórum Nacional de Resíduos, que decorre a 19 e 20 de Abril, no Sana Malhoa Hotel, em Lisboa, organizado pelo jornal Água&Ambiente, uma publicação do Grupo About Media.

 

(Ana Santiago para o Ambiente Online)