Concessões dos Serviços de Águas. Por que não há novas concessões a privados?

Enrique Castiblanques, Presidente Executivo da Indaqua; João Feliciano, CEO da AGS e Presidente do CA da Águas de Cascais; Miguel Salvado, Vereador da Câmara Municipal de Almada e Pedro Jorge, Partner na F9 Consulting, vão debater o tema das concessões dos Serviços de Águas com a moderação de Rosário André, Professora da Nova SBE–UNL.

 

Por que não há novas concessões a privados? é a questão central do debate para a qual antecipamos as primeiras impressões:

 

"Apesar das provas dadas pelo setor privado – em termos de know how, expertise, e performance global – continua a existir um quadro de instabilidade legislativa e regulatória, que impede a definição clara do papel dos diferentes agentes setoriais,  a que se  junta uma legislação que repetida e cegamente favorece modelos de gestão públicos e uma política de subsidiação que privilegia de forma discriminatória o setor público em relação ao privado.  Quando o bem comum beneficiaria de uma aplicação transversal das melhores práticas – comprovadamente aplicadas pelos agentes privados -,  por que continua este a ser visto como o parente pobre do setor?"

Enrique Castiblanques, Presidente Executivo da Indaqua

 

"Os privados não têm sabido comunicar, de forma clara, o valor que conseguem acrescentar ao serviço que é prestado aos utilizadores finais, com tarifas socialmente aceitáveis e porque temos assistido a políticas que não incentivam os municípios a adotar este modelo de gestão."

João Feliciano, CEO da AGS e Presidente do Conselho de Administração da Águas de Cascais

 

"A inexistência de informação sistematizada que permita aferir os benefícios dos operadores privados, bem como a rigidez dos processos de concurso, que não satisfazem as necessidades associadas às diferentes realidades dos municípios, contribuem para o preconceito social e político da “privatização da água"."

Pedro Jorge, Partner na F9 Consulting