13º Fórum dos Resíduos: A realidade é que reciclar plástico “é muito complicado…”

11.04.2019

“Só temos 6% de uso de plástico reciclado porque não existe garantia nem responsabilidade por parte da CE quanto à segurança desse produto” afirmou José Manuel Palma, professor da Universidade de Lisboa, consultor especialista da ASAE, na sua intervenção no 13º Fórum Nacional de Resíduos que hoje termina.

 

O especialista revelou que está em preparação, pela Comissão Europeia, de uma metodologia de certificação de procedimentos para reciclar plástico, e abordou os problemas que se levantam.

 

José Manuel Palma adiantou que, dos 25,8 milhões de toneladas de plásticos que a União Europeia torna resíduos, apenas 30% é reciclado, 31% vai para aterro e 39% é incinerado.

 

No entanto, apenas 6% são procurados por produtores como matérias primas para novos produtos. Tal deve-se ao facto de nano partículas de aditivos incorporados no fabrico dos plásticos, nem sempre serem reveladas pelos produtores porque se tratam de patentes próprias, “segredos industriais”. Por esse motivo a União Europeia não consegue ter informação completa. Sem uma certidão da UE afirmando que certos plásticos reciclados são considerados descontaminados, os produtores não arriscam o seu uso como matérias primas temendo futuras responsabilidades.

 

O caminho, diz o especialista, é encontrar a certificação para produtos descontaminados, há trabalho a ser feito na EFSA - European Food Safety Authority mas a conclusão final de José Manuel Palma é que este assunto “é muito complicado…”

VOLTAR