FCT NOVA estuda forma de reaproveitar 2% de água rejeitada das piscinas

17.10.2019

A Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa (FCT NOVA) está a desenvolver um estudo nas piscinas do Complexo Municipal dos Desportos Cidade de Almada para perceber como reutilizar os dois por cento de água diariamente rejeitados.

 

Para cumprir os normativos em vigor as piscinas públicas têm de rejeitar, diariamente, pelo menos dois por cento do seu volume de água. Esta obrigação legal acarreta "custos com a reposição da mesma, com a energia gasta no seu aquecimento e com os produtos químicos usados no seu tratamento", sublinha a autarquia que lançou o desafio à Universidade. O estudo vai ser realizado em colaboração com as empresas Evoqua e Cimai. 

 

Os dados recolhidos vão permitir avaliar a viabilidade financeira e energética das soluções que poderão vir a aplicadas nas restantes piscinas municipais. 

 

Para o município de Almada esta é uma das formas de contribuir localmente para inverter problemas como as alterações climáticas, a escassez de água potável e seca que ameaça o planeta.  "O objetivo é poupar recursos e tornar as piscinas públicas mais sustentáveis e amigas do ambiente", sublinha a autarquia.

VOLTAR