Águas do Alto Minho anuncia melhorias no atendimento e novo Sistema de Gestão Comercial

19.02.2021

A implementação de um novo sistema de gestão comercial, associado ao reforço do atendimento ao cliente, tanto em loja como telefónico, e o lançamento uma aplicação móvel, marcam o início de um novo ciclo na Águas do Alto Minho (AdAM) para melhorar o serviço ao cliente. Estas medidas foram anunciadas pelo Presidente do Conselho de Administração da AdAM – Águas do Alto Minho, Eng. Carlos Martins, após as críticas feitas pelos autarcas dos sete municípios que integram a empresa.

 

Com o objetivo de melhorar o atendimento aos clientes da empresa, a AdAM vai, assim, destacar um novo sistema de gestão comercial e um serviço de atendimento telefónico de Call-Back, em complemento da aplicação para smartphones myAQUA, e o reforço de recursos humanos para a direção comercial e atendimento ao cliente. “Implementámos com sucesso um novo sistema de gestão comercial, o Aquamatrix, um sistema robusto e líder de mercado que está implementado em vários municípios e empresas do setor, como a EPAL, o que nos possibilita resolver todos os problemas de faturação e de integração dos 7 sistemas. As novas medidas vão permitir reduzir os tempos de espera e possibilitar que as pessoas interajam mais facilmente connosco do conforto de suas casas”.

 

Neste primeiro ano de atividade a Águas do Alto Minho atingiu vários objetivos, tendo assegurado o fornecimento de água e o normal funcionamento dos sistemas de saneamento, com equipas de operação e de manutenção disponíveis 24 horas por dia. Carlos Martins salienta que “2020 decorreu em circunstâncias extremamente severas para todos e exigiu muita dedicação e empenho dos trabalhadores da AdAM para garantir o abastecimento e o saneamento sem interrupções, a quem reconhecemos o esforço, a dedicação e enorme profissionalismo”. Os requisitos do Plano de Controlo de Qualidade da Água foram integralmente cumpridos, sendo de registar a melhoria do indicador de Água Segura da entidade reguladora do setor (ERSAR), atingido o valor de 98,7% água segura. Foi dado início a um plano de investimentos de 20 milhões de euros em novas obras de expansão de redes de água e águas residuais, que já permitiu o alargamento do serviço a lugares que nunca tinham tido acesso ao serviço de água e aos serviços de saneamento, nomeadamente a Ermelo (Arcos de Valdevez), a Nogueira e Portela Susã (Viana do Castelo); à ETAR Robordões Souto, servindo Fornelos, Queijada e Anais; à ETAR do Freixo (Ponte de Lima) e ao saneamento de Argela (Caminha). Destaca-se também o investimento de 13 milhões de euros para combater as perdas de água, promovendo a instalação de um sistema de telegestão, de deteção de fugas, bem como, à substituição de condutas com históricos problemas de roturas Relativamente às situações que colocaram grandes constrangimentos à atividade da empresa durante o primeiro ano de atividade, designadamente relacionadas com a complexidade da integração dos 7 sistemas de faturação dos municípios, que veio a causar erros de faturação cuja resolução foi afetada pelos constrangimentos decorrentes da pandemia Covid-19, o Presidente da AdAM referiu “O novo sistema de gestão comercial e o reforço das equipas são medidas que complementam o esforço na melhoria do atendimento aos clientes que já implementámos, nomeadamente ao nível da digitalização dos serviços. A esmagadora maioria das situações e interações com a AdAM já podem ser resolvidas tanto no nosso balcão digital como na nova aplicação para smartphone que lançamos este ano” frisando que “Em janeiro de 2021 concluímos a migração das bases de dados do sistema comercial e promovemos a regularização da faturação em atraso. Desta forma, criaram-se as condições para a normalidade e deu-se início a um novo ciclo de relação com os nossos clientes.” A AdAM reconhece e lamenta o incómodo sofrido pelos seus clientes, num ano particularmente desafiante, e assume o empenho em prosseguir todos os esforços para cumprir a missão de prestar um serviço cada vez mais fiável, eficaz e de qualidade, através de uma gestão eficiente dos recursos naturais, das infraestruturas, dos serviços de operação e manutenção, promovendo a sustentabilidade ambiental com a melhoria da qualidade da água para consumo, o correto tratamento das águas residuais e a redução de perdas de águas e infiltrações.

 

A Águas do Alto Minho é uma empresa 100% pública, detida pela Águas de Portugal e pelos municípios de Arcos de Valdevez, Caminha, Paredes de Coura, Ponte de Lima, Valença, Viana do Castelo e Vila Nova de Cerveira. Esta empresa assumiu a exploração e gestão do sistema de águas da região do Alto Minho no início de 2020, sistema que resulta da Parceria 100% pública celebrada entre o Estado Português e os sete municípios referidos.

 

Recorde-se que além das críticas tecidas pelos autarcas ao desempenho da AdAM, aqueles tinham ainda deixado “o prazo de uma fatura” para que a empresa altera-se o seu modo de atuar, caso contrário, prometiam agir.

 

 

Notícias relacionadas:

 

-Águas do Alto Minho  criticada pelos seus autarcas

VOLTAR