Comentário Carlos Zorrinho: Comercializadores têm margem para oferecer melhor que a tarifa regulada

21.07.2017

(Nota da redação: Os comercializadores que atuam no mercado liberalizado de eletricidade vão poder apresentar propostas aos consumidores domésticos no âmbito de um regime equiparado ao das tarifas transitórias ou reguladas. A possibilidade de os consumidores domésticos de eletricidade em regime de preço livre poderem regressar ao regime de tarifas reguladas ou transitórias, se assim desejarem e enquanto esse regime vigorar, já tinha sido aprovada na generalidade no Parlamento o mês passado. No dia 13 de julho o Projeto-Lei foi aprovado na especialidade na reunião da Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas e esta semana passou na aprovação final global)

 

Tendo em conta a baixa dinâmica competitiva verificada no mercado liberalizado, o regresso ao mercado regulado nos segmentos de menor potência protege os consumidores sem gerar deficit dado que a tarifa garante a cobertura dos custos de referência.

 

Os comercializadores têm margem para oferecer aos consumidores propostas melhores que a oferta regulada. Compete-lhes decidir se apostam neste nicho ou se preferem concentrar-se noutros nichos de maior volume.

 

Carlos Zorrinho, eurodeputado do PS, membro da Comissão da Indústria, da Investigação e da Energia no Parlamento Europeu, é licenciado em Gestão de Empresas e doutorado em Gestão de Informação pela Universidade de Évora. Foi professor catedrático do Departamento de Gestão da Universidade de Évora, deputado à Assembleia da República pelo PS (1995-2002 e 2004-2014), líder Parlamentar do Partido Socialista na Assembleia da República (2011-2014) e, no Governo, ocupou as funções de Secretário de Estado da Energia e da Inovação (2009 e 2011) e secretário de estado Adjunto da Administração Interna entre 2000 e 2002.

TAGS: mercado regulado , comercializadores
Vai gostar de ver
VOLTAR