Comentário Carlos Zorrinho (Energia): Cortes nos pagamentos às centrais elétricas

03.03.2017

[Nota da redação: O Governo reduziu o valor a pagar às centrais elétricas pelos serviços de disponibilidadecomo forma de garantir a segurança de abastecimento, e vai promover um leilão no fim de março. Esta despesa, paga pelo consumidor, passará a ser no máximo de 8,4 milhões em vez dos 17 milhões previstos para este ano. A medida, que abrange o período de abril a dezembro, já estava prevista no Orçamento de Estado para 2017.]

 

A redução sustentada da procura decorrente do aumento da eficiência energética e o incremento da produção de eletricidade a partir de fontes renováveis ligadas à rede ou em auto-consumo, tende a modificar os parâmetros a partir dos quais é garantida a segurança do abastecimento.

 

É este contexto objetivo que explica a redução das necessidades de serviços de disponibilidade.

 

A atribuição por leilão das quotas de disponibilidade necessárias é uma metodologia transparente e adequada às circunstâncias.

 

Carlos Zorrinho, eurodeputado do PS, membro da Comissão da Indústria, da Investigação e da Energia no Parlamento Europeu, é licenciado em Gestão de Empresas e doutorado em Gestão de Informação pela Universidade de Évora. Foi professor catedrático do Departamento de Gestão da Universidade de Évora, deputado à Assembleia da República pelo PS (1995-2002 e 2004-2014), líder Parlamentar do Partido Socialista na Assembleia da República (2011-2014) e, no Governo, ocupou as funções de Secretário de Estado da Energia e da Inovação (2009 e 2011) e secretário de estado Adjunto da Administração Interna entre 2000 e 2002.

TAGS: Comentário , Carlos Zorrinho , energia , disponibilidade
Vai gostar de ver
VOLTAR