Comentário Carlos Zorrinho (Energia): Nuclear é apostar nas Renováveis

23.07.2018

(Comentário pedido pela redação à notícia: PCP quer ponderar a energia nuclear em Portugal)

 

A ponderação de alternativas é sempre um exercício meritório. Periodicamente o tema do nuclear ressurge em Portugal.

 

A avaliação que tenho feito na sequência de sucessivos manifestos pelo nuclear liderados pelo ex-ministro Mira Amaral é que essa tecnologia não é flexível, não convoca as redes de conhecimento nacionais, é perigosa e  não tem qualquer vantagem comparativa em relação à aposta num "mix energético" baseado em energias renováveis em que Portugal tem sido uma referência.

 

No plano europeu tenho também estudado e agido contra o impacto muito negativo associado à degenerescência de centrais e aos brutais custos associados ao seu descomissionamento e desmantelamento.

 

Tudo pode e deve ser estudado,  mas o que é nuclear é vencer a batalha da sustentabilidade económica, social e ambiental, posicionando Portugal na fronteira do aproveitamento das energias renováveis de que dispõe.

 

Carlos Zorrinho, eurodeputado do PS, membro da Comissão da Indústria, da Investigação e da Energia no Parlamento Europeu, é licenciado em Gestão de Empresas e doutorado em Gestão de Informação pela Universidade de Évora. Foi professor catedrático do Departamento de Gestão da Universidade de Évora, deputado à Assembleia da República pelo PS (1995-2002 e 2004-2014), líder Parlamentar do Partido Socialista na Assembleia da República (2011-2014) e, no Governo, ocupou as funções de Secretário de Estado da Energia e da Inovação (2009 e 2011) e secretário de estado Adjunto da Administração Interna entre 2000 e 2002.

VOLTAR