Comentário Carlos Zorrinho (Energia): Um passo insuficiente mas no sentido positivo

15.06.2018

O Parlamento, a Comissão e o Conselho estão a fazer um esforço conjunto para que as principais diretivas e regulamentos do pacote da energia limpa sejam fechados na negociação tripartida ainda durante a Presidência Búlgara, permitindo que a elaboração e a implementação dos planos de ação 20/30 pelos Estados Membros não se atrase.

 

A meta acordada para as renováveis é em três por cento inferior à proposta do Parlamento e insuficiente, mas acredito que na primeira revisão será ajustada em alta.

 

O mesmo deve acontecer com a meta para a eficiência energética.

 

A meta para as interconexões deverá estabilizar nos 15%.

 

Dia 19 decorrerão negociações tripartidas para fechar o regulamento da Governação da União da Energia em que sou co-relator em representação dos Socialistas e Democratas.

 

Espero que esse dia (ou o seguinte porque as negociações deverão prolongar-se noite dentro!) marque uma nova etapa na política da energia na União Europeia.

 

Carlos Zorrinho, eurodeputado do PS, membro da Comissão da Indústria, da Investigação e da Energia no Parlamento Europeu, é licenciado em Gestão de Empresas e doutorado em Gestão de Informação pela Universidade de Évora. Foi professor catedrático do Departamento de Gestão da Universidade de Évora, deputado à Assembleia da República pelo PS (1995-2002 e 2004-2014), líder Parlamentar do Partido Socialista na Assembleia da República (2011-2014) e, no Governo, ocupou as funções de Secretário de Estado da Energia e da Inovação (2009 e 2011) e secretário de estado Adjunto da Administração Interna entre 2000 e 2002.

VOLTAR