Comentário Carlos Zorrinho: Suporte ao sistema elétrico por via das barragens é por enquanto "o mais favorável"

14.02.2017


Pergunta da redação:


sistema electroprodutor do Tâmega, que a Iberdrola está a promover e que deverá estar concluído até 2023, aposta em força na bombagem (esta componente representa 76 por cento da capacidade instalada para este projeto). Segundo a proposta da nova diretiva das renováveis a eletricidade produzida por via da bombagem não deverá ser considerada energia renovável (já que é preciso eletricidade para voltar a elevar a água). Concorda com esta alteração particular da diretiva? Poderá esta medida prejudicar Portugal em termos de metas de renováveis e afastar eventuais investidores desse tipo de investimentos?

 

Comentário de Carlos Zorrinho:


O processo de codecisão em relação à nova diretiva das renováveis ainda está em curso, mas aponta claramente para uma integração no mercado competitivo dessas energias, pelo que não me parece que a medida, a concretizar-se como enunciada na proposta base, afaste investidores.

 

No que se refere às metas, em Portugal e na UE, é fundamental que elas sejam atingidas sem dupla imputação. Mais do que o resultado da incorporação, importa o volume de emissões evitadas. Neste contexto, e enquanto não se generalizarem sistemas distribuídos de armazenagem com a evolução das baterias, o suporte ao sistema elétrico feito por via das barragens é bem mais favorável ao ambiente do que os sistemas baseados em centrais térmicas ou nucleares.

 

Carlos Zorrinho, eurodeputado do PS, membro da Comissão da Indústria, da Investigação e da Energia no Parlamento Europeu, é licenciado em Gestão de Empresas e doutorado em Gestão de Informação pela Universidade de Évora. Foi professor catedrático do Departamento de Gestão da Universidade de Évora, deputado à Assembleia da República pelo PS (1995-2002 e 2004-2014), líder Parlamentar do Partido Socialista na Assembleia da República (2011-2014) e, no Governo, ocupou as funções de Secretário de Estado da Energia e da Inovação (2009 e 2011) e secretário de estado Adjunto da Administração Interna entre 2000 e 2002.

TAGS: Comentário , Carlos Zorrinho , energia , renováveis , novo diretiva , pacote de inverno , Comissão Europeia , barragens , bombagem , Iberdrola , Sistema Eletroprodutor do Tâmega
Vai gostar de ver
VOLTAR