Comentário Rui Berkemeier (Resíduos): As vantagens da incineração: uma verdade desconhecida

24.02.2017

Ao longo dos anos, como muitos ambientalistas, tenho sido um opositor à incineração de resíduos em situações em que não existe a montante do incinerador um bom sistema de recolha seletiva, nomeadamente através do sistema porta-a-porta de todos os recicláveis incluindo os orgânicos, complementado por tratamento mecânico e biológico para maximizar a reciclagem dos resíduos antes de serem enviados para destino final.

 

No entanto, e como tudo é reciclável, até as ideias dos ambientalistas, devemos estar sempre abertos a novas sugestões e foi isso o que me aconteceu ao ler mais atentamente o Estudo de Impacte Ambiental (EIA) do incinerador de S.Miguel, nos Açores, elaborado em 2011, cujo conteúdo técnico-científico fez alterar radicalmente as minhas ideias e passar a defender a incineração de todos os resíduos, deixando cair a ideia arcaica da reciclagem.

 

É claro que, depois de ter esta visão redentora, sinto-me naturalmente na obrigação de a partilhar e por isso venho explicar um pouco melhor as razões que a sustentam.

 

Este EIA inclui um estudo económico onde é feita a análise do projeto de incineração. Essa análise inclui uma avaliação dos custos e dos benefícios. E é na análise dos benefícios que encontramos verdades até agora totalmente desconhecidas (página 30 do Relatório Técnico) que passo a transcrever, para não desvirtuar o pergaminho original:

 

De acordo com a análise económica realizada foram calculados os benefícios totais para o período 2010-2040 da implementação do projeto:


- Na melhoria da saúde pública – cerca de 42,2 milhões de Euros


- Nas receitas do turismo – cerca de 33,9 milhões de Euros

 

No documento é referido que os ganhos na saúde pública se devem à diminuição dos gastos com fármacos. Curiosa perspetiva! No entanto, não entendi muito bem a fonte das receitas do turismo, mas podemos sempre deduzir que em S.Miguel teremos uma nova atração turística com características térmicas a ombrear com Lagoa das Furnas, ou, melhor ainda, com a do Fogo.

 

Um bom Carnaval para todos!

 

Rui Berkemeier é Engenheiro do Ambiente licenciado pela FCT/UNL. Foi Técnico Superior da Direção de Serviços de Hidráulica do Sul em Évora (1988-1992), na área de Controle da poluição hídrica e extracção de inertes, e Chefe de Setor de Ambiente da CM das Ilhas em Macau (1992-1996) na Gestão de Resíduos e Educação Ambiental. Desempenhou as funções de Coordenador do Centro de Informação de Resíduos da Quercus de 1996 a 2016 acompanhando as políticas nacionais de gestão de resíduos. Atualmente é técnico especialista na Zero – Associação Sistema Terrestre Sustentável.

TAGS: Comentário , Rui Berkemeier , resíduos , incinerador , São Miguel , Açores
Vai gostar de ver
VOLTAR