Comentário Rui Berkemeier (Resíduos): São Miguel avança para o TMB

15.05.2019

A empresa gestora dos resíduos da ilha de São Miguel lançou um concurso, no valor de 4,5 milhões de euros, para o tratamento mecânico dos resíduos urbanos indiferenciados, ao qual se deverá seguir outro concurso para o tratamento biológico dos resíduos orgânicos separados nesse TM.

A concretizarem-se estes projetos a ilha terá uma redução de cerca de 50% dos seus resíduos indiferenciados e aumentará substancialmente as suas taxas de reciclagem.


Paralelamente, espera-se que em São Miguel sejam desenvolvidos os sistemas de recolha seletiva porta-a-porta para papel e embalagens e que também seja lançada a recolha seletiva de resíduos orgânicos.


Igualmente será fundamental que se aposte na compostagem doméstica, uma vez que na ilha existem boas condições para o desenvolvimento desta excelente solução.


E, é claro, será também muito importante que, com estes sistemas instalados, os micaelenses possam usufruir de um sistema de cobrança dos resíduos em função da sua produção (sistema PAYT) que premeia quem reduz, reutiliza e recicla os seus resíduos.


A conjugação de todos estes factores (recolha porta-a-porta, recolha de orgânicos, PAYT, compostagem doméstica e TMB) vai permitir reduzir imenso os resíduos indiferenciados a necessitarem de tratamento final, sendo de admitir que, devido à sua pouca expressão, possa ser viável o seu envio para tratamento no incinerador da ilha Terceira, unidade que possui uma clara capacidade excedentária que ainda poderia ser aumentada caso se apostasse no desenvolvimento da recolha de orgânicos nessa ilha.

 

Rui Berkemeier é Engenheiro do Ambiente licenciado pela FCT/UNL. Foi Técnico Superior da Direção de Serviços de Hidráulica do Sul em Évora (1988-1992), na área de Controlo da poluição hídrica e extração de inertes, e Chefe de Setor de Ambiente da CM das Ilhas em Macau (1992-1996) na Gestão de Resíduos e Educação Ambiental. Desempenhou as funções de Coordenador do Centro de Informação de Resíduos da Quercus de 1996 a 2016 acompanhando as políticas nacionais de gestão de resíduos. Atualmente é técnico especialista na Zero – Associação Sistema Terrestre Sustentável.

 

VOLTAR