Hernâni Theias: "Com merda até ao pescoço"

14.01.2020

Hernâni Theias, colunista do Ambiente Online, afirma que a profissão de “vasculhador” tem enorme futuro porque “os meios de limpeza convencionais (por jato hidráulico e aspiração) de esgotos, latrinas e fossas sépticas, amplamente usados nas nossas latitudes, revelam-se inúteis”.  

 

Para o colunista, “a quantidade e o tipo de escombros que entopem caixas de visitas e coletores impede muitas vezes a introdução de mangueiras, impossibilitando as tarefas de limpeza e inspeção”. Também “o desconhecimento do cadastro das redes dificulta a definição de uma estratégia de limpeza, chegando a ser impossível distinguir jusante de montante”.

 

Hernâni Theias afirma que “a limpeza manual, em determinadas situações, não tem concorrência; só não tem que ser perigosa e ineficiente”, como acontece na India, onde “mais de 182.000* indianos que se dedicam diariamente a uma das atividades mais degradantes imagináveis e que consiste na remoção à mão de excrementos em esgotos, latrinas e fossas sépticas”.

 

* Dados oficiais do censo de 2011. Outras fontes apontam para números muito superiores, da ordem de 800 mil.

 

 

Leia tudo em Colunista Hernâni Theias (Água-Tendências): Com merda até ao pescoço

VOLTAR