Jorge Cruz Morais (APE): “O sector energético está em profunda transformação” (COM VÍDEO)

Associação discutiu evolução do sector no horizonte 2030

27.11.2015

“O sector energético está numa profunda transformação reflectindo o grande desenvolvimento tecnológico de algumas indústrias, nomeadamente o impacto que tem tido na redução dos preços de produção das energias renováveis”, o que por sua vez também tem consequências para as empresas que optaram por não entrar no desenvolvimento de energias renováveis.

 

A análise é do presidente da direcção da Associação Portuguesa de Energia (APE), Jorge Cruz Morais, em declarações ao Ambiente Online no final da conferência organizada pela APE e intitulada “Sistema Energético: A mudança no horizonte 2030”, que decorreu esta quarta-feira, 25 de Novembro, no Centro Cultural de Belém.

 

A geração distribuída de energia ou a “digitalização dos clientes” trazem outros desafios. “A relação que existe hoje entre as empresas comercializadoras e os clientes vai ser significativamente alterada”, antecipa.  Isto num altura em que é preciso compatibilizar o crescimento dos consumos de energia no mundo inteiro com a necessidade de reduzir as emissões de CO2.

 

Para Jorge Cruz Morais esta mudança conduz a um conjunto de questões: “Existem todas as condições para que os actores existentes possam participar activamente neste processo de mudança?”, interroga-se. “Este processo de mudança conduz a um conjunto de inovação e de investimento que precisa de também alguma previsibilidade”, frisa por outro lado.

 

“Se o sector da energia está a mudar completamente, desde a produção à comercialização, passando pela rede de distribuição, a pergunta que se deixa é: vai mudar a estrutura do sector? Então vai ter que mudar também a estrutura da própria regulação e toda a estrutura organizativa e económica do sector”, analisa. 

 

Ana Santiago

VOLTAR