MAAC: minimizada redução do caudal do rio Tejo

31.03.2021

De acordo com Matos Fernandes, ministro do Ambiente e da Ação Climática, a redução do caudal do rio Tejo, registada nos últimos dias já está minimizada, tendo ainda garantido que a situação “não representa um incumprimento” da Convenção de Albufeira: “É facto que há alguns dias houve uma redução do caudal do rio Tejo, essa é uma questão que está hoje minimizada, o que não quer dizer que não possa surgir dentro de dias”, respondeu o governante aos deputados no âmbito de uma audição regimental na comissão de Agricultura e Mar.


Perante as questões do deputado do PSD João Moura sobre o aproveitamento hídrico no rio Tejo, o ministro do Ambiente e da Ação Climática adiantou que “a barragem de Cedilho vai entrar em obras, o que obriga também, inevitavelmente, a alguma irregularidade nas descargas”, assegurando que o Governo está a acompanhar a situação de redução do caudal.


“Por decisão de Espanha, a redução do transvase Tejo-Segura é que passa de 38 para 27 hectómetros cúbicos/ano, ou seja, tem uma redução em cerca de 20% a 25%”, revelou João Matos Fernandes, considerando que esta é uma boa notícia.


De acordo com o governante, o problema de redução do caudal do rio Tejo tem a ver com a quantidade de água que “não foi bombada a partir de Espanha”, referindo que as barragens do lado português cumprem um hectómetro cúbico por dia e “nenhuma delas falhou ainda nessa transposição de água, não pode é transpor a água que não tem”.

 

TAGS: MAAC , Matos Fernandes , caudal , rio Tejo
Vai gostar de ver
VOLTAR