Neutralidade carbónica exige investimento adicional de dois mil milhões de euros por ano

04.12.2018

A neutralidade carbónica que o Governo quer implementar até 2050 vai implicar um investimento adicional de dois mil milhões de euros por ano face ao valor que já iria ser aplicado no sistema elétrico e descarbonização.

 

Os valores foram revelados esta manhã pelos ministros do ambiente e economia na sessão de apresentação do Roteiro para a Neutralidade Carbónica, que decorre durante o dia de hoje na Fundação Calouste de Gulbenkian, em Lisboa.

 

O presidente da Agência Portuguesa do Ambiente, Nuno Lacasta, explicou que o montante de investimento no sistema elétrico e descarbonização, entre 2020 e 2050 rondaria, de qualquer forma, os 900 mil milhões de euros.

 

As medidas tocam em vários setores, desde a indústria à agricultura, com a redução da produção bovina, passando pela área da água, resíduos, floresta e energia, o que pressupõe o uso de renováveis para aquecimento e arrefecimento nos edifícios.

 

Com a redução das emissões de carbono o país passará de 70 milhões de toneladas para 10 milhões de toneladas "que serão compensadas com o sequestro de CO2".

 

O roteiro será colocado em consulta pública até final de fevereiro.

VOLTAR