O fim da pesquisa de gás natural

09.09.2020

A companhia australiana Australis, que entrou em Portugal em 2015 para procurar gás e petróleo na zona Oeste e na zona Centro, acaba de renunciar ao contrato, acusando o Governo de falta de apoio. A Australis, a última empresa que procurava hidrocarbonetos no país, sai de Portugal desapontada por não lhe ter sido possível concretizar a avaliação da descoberta na concessão Batalha e complementar a avaliação da perspetiva de existência de Gás Natural na concessão Pombal.

 

Em 2015, existiam sete empresas e um total de 18 concessões a pesquisar petróleo e gás natural em Portugal: a Australis na Batalha e Pombal; a Kosmos Energy ao largo da costa do Alentejo e Algarve; a Portfuel, do empresário Sousa Cintra, no Algarve; a Repsol/Partex ao largo da costa do Algarve; a ENI/Galp ao largo da costa do Alentejo e Algarve; a Repsol/Kosmos/Galp/Partex ao largo de toda a costa entre Lisboa e o Porto. Todas estas empresas foram desistindo gradualmente da pesquisa de hidrocarbonetos no país. O Ministério do Ambiente e da Ação Climática (MAAC) fez entretanto saber que não serão atribuídos mais contratos de prospeção e pesquisa de gás natural ou petróleo.

VOLTAR