Politécnico de Portalegre lidera projeto no Alentejo sobre alterações climáticas

07.04.2021

O Instituto Politécnico de Portalegre (IPP) vai coordenar um projeto que visa transformar o Alentejo num “laboratório vivo” de análise dos impactos das alterações climáticas. O projeto, denominado por “Guardiões”, e que conta com um investimento superior a dois milhões de euros, integra o Fórum da Energia e Clima e a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Alentejo.

 

O “Gardiões” pretende utilizar a região Alentejo como um “laboratório vivo”, com o objetivo de “congregar uma análise”, não só da situação de referência, àquilo que são os impactos decorrentes das alterações climáticas, mas também sobre a “criação de medidas, estratégias, metodologias específicas” para combate às alterações climáticas”, explicou o coordenador do projeto e vice-presidente do IPP, Luís Loures, acrescentando ainda: “Nós queremos estudar o Alentejo como ‘laboratório vivo’, o objetivo é estudar o fenómeno e, por isso, o projeto tem também uma componente muito grande de sensibilização ambiental, sensibilização para as alterações climáticas”, acrescentou.

 

Este projeto vai também incidir a sua ação junto da comunidade escolar, “de todos os níveis de escolaridade”, com conteúdos “específicos e adequados” a cada faixa etária e nível de ensino, devido à sua forte “componente de educação ambiental e sensibilização” para atingir “as grandes massas”, disse o responsável.

 

A iniciativa deve arrancar no final deste mês e conta com um prazo de execução de dois anos, período durante o qual vão também ser promovidas conferências internacionais que vão reunir no Alentejo “o melhor que existe” a nível nacional e internacional na componente científica, mas também “potenciais investidores” ligados a estas temáticas.

 

O projeto conta com uma equipa de trabalho composta por especialistas em alterações climáticas e políticas ambientais, pedagogos, engenheiros do ambiente, engenheiros informáticos, arquitetos, arquitetos paisagistas, gestores, designers, profissionais de comunicação e economistas.

TAGS: Portalegre , CCDR , IPP , alterações climáticas
Vai gostar de ver
VOLTAR