Parlamento Europeu declara emergência climática

29.11.2019

O Parlamento Europeu declarou esta quinta-feira, uma emergência climática e ambiental. Com esta resolução, aprovada com 429 votos a favor, 255 contra e 19 abstenções, é esperado que a União Europeia reduza as emissões líquidas de gases em 55% até 2030, para atingir a neutralidade climática até 2050.

 

 Em comunicado divulgado pela instituição, os eurodeputados afirmam ser fundamental tomar medidas imediatas e ambiciosas para limitar o aquecimento global a 1.5ºC e evitar uma perda maciça de biodiversidade. Foi ainda realizado um apelo à Comissão Europeia, aos Estados-Membros e a todos os intervenientes a nível mundial, para tomarem urgentemente as medidas concretas necessárias para o combate a esta ameaça, “antes que seja demasiado tarde”.

 

Os eurodeputados aprovaram ainda uma resolução na qual pedem aos líderes europeus o apoio, no Conselho Europeu de 12 a 13 de dezembro, no objetivo de longo prazo da União Europeia de alcançar um nível nulo de emissões líquidas de gases com efeito de estufa, “o mais rapidamente possível e, o mais tardar, até 2050”.

 

“É da maior importância a União enviar uma mensagem clara, durante a COP25 (25ª Cimeira das Nações Unidas pelo Clima), de que está pronta para aumentar o seu contributo para o Acordo de Paris”, diz a resolução, aprovada em plenário com 430 votos a favor, 190 contra e 34 abstenções.

 

O Parlamento Europeu refere ainda que a Comissão Europeia já havia proposto o objetivo de emissões líquidas nulas até 2050, mas o Conselho Europeu ainda não o apoiou, uma vez que existe oposição da parte da Polónia, Hungria e Chéquia. 

 

Em Portugal, os jovens voltam a sair à rua esta sexta-feira para realizar uma nova greve climática. Os jovens pretendem chamar a atenção para a COP25, que tem início na próxima segunda-feira em Madrid, Espanha, e onde deverão ser decididas novas metas de combate às alterações climáticas. Os manifestantes apelam ainda a mais ação por parte dos políticos, pedindo o encerramento das centrais de carvão e um travão em projetos que aumentem as emissões de gases poluentes nacionais, como a construção do aeroporto do Montijo.

VOLTAR