Paulo Rodrigues: “É difícil compreender o desinvestimento que se tem feito na recolha de resíduos”

13.01.2020

O colunista do Ambiente Online da área de Resíduos - Recolha, Paulo Rodrigues, afirma que é “difícil compreender o desinvestimento que se tem feito na recolha de resíduos”, sendo esta a “face” do serviço de gestão mais visível para o cidadão e que reflete uma imagem “constante e importante” do serviço público.

 

Em artigo de opinião publicado no Ambiente Online, Paulo Rodrigues alerta para a dificuldade, não só em Portugal mas por todo o mundo, de encontrar trabalhadores para a recolha de resíduos. Atualmente a percentagem de recolha de resíduos que é efetuada “por entidades privadas é maior que a executada por serviços municipalizados pelo que a regra é a contratação de trabalhadores de curta duração, alta taxa de rotatividade, ordenados baixos e reduzida (ou mesmo nenhuma) qualificação”, refere.

 

Paulo Rodrigues defende ainda que quando nos “concursos públicos o critério preço continua a ser o fator de maior relevância na avaliação das propostas então, inevitavelmente, estamos a induzir o mercado para o destino onde nos encontramos”, questionando se “vamos continuar a querer uma recolha de resíduos neste modelo atual ou vamos ter uma Estratégia Integrada de Atratividade das Cidades?”.

 

 

Leia tudo em Paulo Rodrigues (Resíduos): Recolha de Resíduos e a Atratividade das Cidades

VOLTAR