Paulo Rodrigues: Resíduos e a Bazuca Financeira

26.10.2020

Recentemente, numa conferência sobre Economia Circular promovida pelo Jornal de Negócios, o Ministro Pedro Siza Vieira afirmou, quando questionado sobre os Financiamentos que a União Europeia, através do Instrumento de Recuperação e Resiliência, dotará os Estados-Membros, que “estes recursos financeiros que a União Europeia oferece com o seu plano de recuperação podem ser a chave de Portugal para a transição para uma economia circular e a transformação digital”.

 

Desde que se conheceu, com maior ou menor certeza, a verba destinada a Portugal, diferentes setores da nossa economia mobilizaram-se em Fóruns de Discussão, apresentação de Planos, Entrevistas, Publicações e elaboração de Recomendações sobre as necessidades estruturais que, na sua perspetiva, deveriam ser alvo de investimento no seu setor e consequentemente ser contempladas no programa de reformas e de investimento previsto para Portugal.

 

Tive oportunidade de ler alguns destes documentos e manifestamente fiquei desiludido e percebi que poucos setores perceberam que, a premissa adjacente ao Mecanismo de Recuperação e Resiliência, é a transição verde, suportada pelo Green Deal, para uma economia mais amiga do ambiente e transição digital.

 

Mas também percebo que se há setor que deve conduzir, demonstrar e ser farol para a mudança para um paradigma de uma economia menos intensa na emissão de gases com efeito de estufa, na redução e reutilização do consumo matérias-primas virgens, na promoção efetiva do resíduo como um recurso e na mobilização da economia para uma Sociedade da Reciclagem é, efetivamente, o Setor dos Resíduos.

 

Este 14º Fórum de Resíduos promovido pelo Grupo About Media e Jornal Água e Ambiente será referencial para o futuro da Gestão de Resíduos em Portugal.

Mas nós, setor dos Resíduos, também teremos o nosso fórum de discussão à semelhança de outros setores.

 

Este 14º Fórum de Resíduos promovido pelo Grupo About Media e Jornal Água e Ambiente será referencial para o futuro da Gestão de Resíduos em Portugal.

 

Nunca tanta responsabilidade foi colocada ao setor dos resíduos e este 14º Fórum, que será o primeiro online (pelas razões que todos conhecemos), terá como oradores pessoas de referência no setor que vão assumir a responsabilidade de discutir e apresentar caminhos para o setor e concretamente para Investimentos no Setor de Resíduos em Portugal.

 

Não é tempo para egoísmos, para individualismos, para devaneios, para invenções ou para discussões fúteis e estéreis.

 

Já muitos disseram que esta é uma oportunidade única para definir o futuro do país e espero, neste 14º Fórum dos Resíduos, assistir ou pelo menos vislumbrar o que será o futuro da gestão de resíduos em Portugal.

 

Os números que se apresentam são efetivamente uma Bazuca Financeira e todos sabemos que será neste fórum que o setor dos Resíduos vai demonstrar se…. desculpem-me a expressão…Tem Unhas para Tocar Viola.

 

Venha de lá esse 14º Fórum dos Resíduos!

 

 

Paulo Rodrigues é Engenheiro do Ambiente formado pela ESB/UCP com Formação Avançada em Ordenamento da Cidade e Ambiente - UA e Formação Geral em Gestão para a Excelência - PBS. Com um percurso alargado na área de Gestão de Resíduos, desenvolveu e implementou Sistemas de Gestão em diferentes setores de atividade sendo de destacar o setor Residencial, Não-Residencial, sector da Construção e Demolição, Estádios de Futebol, Canal Horeca, Zonas Industriais, PAYT, Prevenção de Resíduos e Gestão de Resíduos em Eventos entre outros. É atualmente Secretário da Comissão Técnica Resíduos – CT209 e tem o registo de Inventor da Patente de Invenção Portuguesa Nº 106819 - “SISTEMA E PROCESSO DE DEPÓSITO E RECOLHA DE RESÍDUOS” COM RECURSO A IDENTIFICAÇÃO DO UTILIZADOR. 

VOLTAR