12º Fórum de Resíduos: Questionário à indústria portuguesa sobre economia circular

08.03.2018

A Economia Circular é percecionada pela indústria portuguesa como uma “oportunidade de melhoria em termos de eficiência material e energética”. Esta é uma ideia que ressalta do questionário que o Grupo About Media está a realizar em colaboração com a CIP (Confederação Empresarial de Portugal) para determinar quais as implicações da Economia Circular para a indústria. As conclusões vão ser apresentadas detalhadamente durante o 12º Fórum Nacional de Resíduos, que decorre a 18 e 19 de abril, em Lisboa.
 
Este questionário inédito conta com a participação das associações representativas de setores industriais nacionais com maior envolvimento neste tema.
 
A auscultação à indústria pretende indagar quais as ameaças e oportunidades que as empresas identificam e perceber de que forma está a indústria a integrar as ideias e conceitos da Economia Circular. Muitas empresas, por via de imposições legais anteriores, já implementaram medidas que vão ao encontro da Economia Circular.
 
Os resultados deste questionário permitirão ainda saber de que forma este tema está a ser tratado pelas entidades responsáveis e quais as medidas políticas que deveriam ser promovidas.

As conclusões vão ser conhecidas no primeiro dia do Fórum Nacional de Resíduos, no painel mais alargado - “The State of The Art da Ecomomia Circular na Europa” – que tem como objetivo dar a conhecer as implicações da Economia Circular para a indústria em geral e para o setor dos resíduos em particular.

No mesmo painel será apresentada a visão da União Europeia e da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico) sobre a Economia Circular.

A passagem de um modelo de economia linear, em que tudo é descartado, para o novo paradigma circular é uma mudança disruptiva que implica múltiplos desafios às indústrias.
 
Se o desenvolvimento de novos produtos pode ser visto como uma oportunidade para alguns setores, para outras a tendência que se perspetiva de aumento da durabilidade dos produtos ou modelos de partilha e aluguer constitui-se como ameaça.
 
Vários setores industriais nacionais estão a repensar, desde logo, a forma como olham para a matéria-prima e a equacionar mudanças, que passam também pelo ciclo de produção. É esta a reflexão que se impõe e que será feita no 12º Fórum Nacional de Resíduos.

VOLTAR