Recolha seletiva na Maia atinge os 75 quilos por habitante

12.03.2018

As retomas com origem na recolha seletiva na Maia atingiram, durante o primeiro mês do ano de 2018, os 75 quilos por habitante, informa a Maiambiente em comunicado.

 

Trata-se de "um valor consideravelmente acima do previsto na meta do Plano Estratégico de Resíduos Sólidos Urbanos (PERSU) que é de 68 quilos, congratula-se a empresa municipal que sublinha que este sucesso deve-se, "em grande parte, ao esforço e contributo dos cidadãos maiatos". 

 

A revisão do PERSU 2020 é um dos temas que vai ser abordado no 12º Fórum Nacional de Resíduos, que decorre a 18 e 19 de abril. Entre os temas em cima da mesa estão o cumprimento das metas de reciclagem, as soluções para a valorização dos orgânicos, a viabilização no mercado dos CDR, o destino da fração-resto, a partilha e a otimização de infraestruturas e os instrumentos económico-financeiros.

 

Na Maia, no mês de janeiro, foram recolhidas seletivamente cerca de 900 toneladas de resíduos, através dos vários sistemas de recolha: ecocentros, ecopontos e porta a porta. 

  

A Maiambiente lembra que foram e continuam a ser distribuídos contentores de uso particular (individual ou coletivo) aos utentes da Maia, para deposição separada e posterior recolha porta a porta das frações seletivas e da fração indiferenciada. 

 

"Este projeto pioneiro e inovador, cofinanciado por fundos comunitários, tem como objetivo tornar mais cómoda e fácil a separação de resíduos, aumentar os quantitativos de resíduos enviados para valorização multimaterial, uniformizar o sistema de recolha em todo o concelho, melhorar a higiene e limpeza dos arruamentos e dar continuidade à estratégia de recolha seletiva".

VOLTAR