Resíduos do Nordeste vai adaptar TMB para receber orgânicos

19.05.2020

A empresa intermunicipal Resíduos do Nordeste vai adaptar o seu sistema de Tratamento Mecânico Biológico (TMB) à receção dos biorresíduos recolhidos seletivamente instalando uma nova linha na sua unidade.

 

O montante global do investimento é de 960 mil euros comparticipados a 85 por cento (816 mil euros) pelos fundos comunitários do PO SEUR (Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos).

 

O projeto pretende garantir que os “biorresíduos provenientes da recolha seletiva serão valorizados separadamente do fluxo indiferenciado evitando assim a sua contaminação e garantindo uma melhoria na qualidade do composto produzido”.

 

Para o efeito será aproveitado um dos fossos de receção de resíduos que a unidade já possui e que tem uma capacidade de armazenamento de 150 toneladas. O digerido será encaminhado para uma nova zona de maturação de materiais provenientes da recolha seletiva. Será ainda necessário aumentar a área desta zona de valorização. Um triturador de biorresíduos verdes irá auxiliar a valorização destes resíduos.

  

Para aumentar a eficiência no processo pós-compostagem (afinação) e maximizar o reaproveitamento do material estruturante será usado um crivo rotativo móvel, reduzindo a produção e deposição em aterro deste material.

 

A unidade ficará dotada de uma linha com capacidade para o tratamento de 30 toneladas diárias de biorresíduos recolhidos seletivamente.

VOLTAR