Ribatejo combate consumos não autorizados com telegestão

29.07.2020

As Águas do Ribatejo estão a reforçar as suas Zonas de Medição e Controlo ZMC, como forma de identificar perdas de água e consumos não autorizados. Um recente investimento, de meio milhão de euros, permitirá que às 55 Zonas existentes se juntem, no final deste ano,  45 novos locais. As ZMC permitem  desenvolver tarefas de quantificação, identificação e a consequente retificação de situações anómalas. A medição e análise dos caudais, principalmente noturnos, são essenciais para estimar o volume de perdas reais e identificar o aparecimento de novas fugas e de consumos não autorizados. As ZMC estão associadas a sistemas de telegestão que permitem o acesso à informação real sobre o estado dos reservatórios e da quantidade de água armazenada. Através de tecnologias que enviam informação remotamente, os operadores e técnicos da AR recebem alertas em tempo real, seja por rotura ou utilização anómala.

 

O investimento em ZMC das Águas do Ribatejo (AR) é suportado por capitais próprios  e fundos comunitários, a que se junta o custo das substituições e reabilitações de captações, reservatórios, estações elevatórias e redes mais antigas e debilitadas. No final de 2024 existirão 132 ZMC no universo dos sete municípios que integram a AR, de acordo com os planos. Segundo Francisco Oliveira, autarca e Presidente da AR, «não é aceitável continuar a tratar água que não é usada para consumo humano com custos financeiros e ambientais significativos». Em 2009, quando a AR assumiu a gestão dos sistemas, as perdas eram superiores a 50% em alguns concelhos. Em 10 anos foi possível reduzir para 30%, mas o objetivo é chegar aos 20% após a conclusão dos investimentos em curso e previstos.

VOLTAR