15.º Fórum Resíduos responde: A hora da valorização energética?

23.09.2021

 

 

Face às limitações que se vão colocar à deposição em aterro, será ou não necessário aumentar a capacidade de valorização energética no País? O 15º Fórum Resíduos reuniu um painel de especialistas para dar resposta à pergunta e avaliar as alternativas que existem para evitar a deposição em aterro, destino para onde são hoje encaminhados quase 60% dos resíduos urbanos, por via direta ou indireta.

 

Para João Pedro Rodrigues, da GIBB Portugal, que vai moderar este painel, das várias metas de gestão de resíduos urbanos com que o País está comprometido, a necessidade de reduzir, a partir de 2035, a menos de 10%, a quantidade total de resíduos depositados em aterro “é aquela que nos traz o maior nível de ambição e o maior nível de dificuldade em termos de cumprimento”. E daí a importância e a oportunidade de voltar a discutir e “avaliar o papel da valorização energética neste domínio”, salienta.

 

O painel “O destino da fração-resto: a hora da valorização energética?” realiza-se já no próximo dia 10 de novembro e vai contar com a participação de Ana Cristina Carrola, vogal do conselho diretivo da Agência Portuguesa do Ambiente (APA); Feliz Mil-Homens, assessor da direção da AVALER - Associação de Entidades de Valorização Energética de Resíduos Sólidos Urbanos; João Levy, presidente Grupo Ecoserviços e Rui Berkemeier, da ZERO – Associação Sistema Terrestre Sustentável.

 

O Fórum Resíduos, a Expo Conferência da Água e o Fórum Energia decorrem de 08 a 15 de novembro no hotel Sana Malhoa, em Lisboa. As iniciativas Água&Ambiente regressam, assim, em versão presencial, naquela que será “Uma Semana de Ambiente”.

TAGS: 15º Fórum Resíduos
Vai gostar de ver
VOLTAR