Comentário Jaime Melo Baptista (Água): "Novo Governo, novas políticas, novas ambições?"

27.11.2015

O novo Governo integra responsáveis políticos reconhecidamente competentes nos domínios do ambiente, dos serviços de águas, da ciência e da cooperação. Boa notícia para o setor. Haverá que juntar a isso grande ponderação, efetivo diálogo, partilha para a ação e, naturalmente, capacidade de decisão.

 

Em termos nacionais os serviços de águas progrediram muito. Há que concentrar no que ainda falta fazer e não regredir no que já está consolidado, a menos que tenham sido cometidos erros graves. Iremos naturalmente acompanhar com interesse a designada reestruturação da água.

 

Em termos da lusofonia temos que liderar a concretização da Declaração do Porto sobre a água para o desenvolvimento. Internacionalmente há que assumir os novos objetivos de desenvolvimento sustentável e não esquecer o acesso à água potável e ao saneamento como direitos humanos das Nações Unidas, bem como os princípios de boa governança da OCDE. E valorizar o enorme potencial de cooperação de Portugal com as regiões do Mediterrâneo, do Médio Oriente e do Norte de África. 

 

É essencial potenciar a Carta de Lisboa da IWA para os serviços de águas, definindo as responsabilidades de Governos, administração pública, reguladores, entidades prestadoras dos serviços e consumidores. Reforçando, de forma visível e num contexto de modernidade, a relevância de efetivas políticas públicas para a água. E acreditar que é o momento certo para ter em Portugal um centro de excelência mundial de conhecimento, capacitação, inovação, networking e incubação de startups no setor da água. Com criação de emprego e riqueza. Com criação de futuro para os nossos jovens.

 

Não poderá ser essa uma das bandeiras do novo Governo? A comunidade profissional, empresarial, técnica e científica, em grande parte já organizada, está claramente à altura do desafio e o País certamente agradecerá.

 

Jaime Melo Baptista, engenho civil especializado em engenharia sanitária, é Investigador-Coordenador do LNEC e Presidente do Conselho Estratégico da PPA. É membro do conselho de administração e do conselho estratégico da IWA. Foi presidente da ERSAR (2003-2015), responsável pelo Departamento de Hidráulica (1990-2000) e pelo Núcleo de Hidráulica Sanitária (1980-1989) do LNEC, diretor da revista Ambiente 21 (2001-2003) e consultor. O autor escreve, por opção, ao abrigo do novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

TAGS: Comentário , Jaime Melo Batista , água , novo Governo
Vai gostar de ver
VOLTAR