Galp escolhe holandesa MVRDV para construir cidade da inovação ligada às energias do futuro em antiga refinaria de Matosinhos

20.06.2022

A Galp escolheu a holandesa MVRDV para construir uma `Innovation District´ (cidade da inovação ligada às energias do futuro) na antiga refinaria de Matosinhos, no distrito do Porto, foi hoje anunciado.


“O projeto da MVRDV para regenerar os terrenos da antiga refinaria de Matosinhos foi selecionado pela Galp com o apoio de um painel de peritos altamente qualificados em projetos desta envergadura, com foco nos impactos social, económico e ambiental”, adiantou a Galp, em comunicado.


A antiga refinaria de Matosinhos vai dar lugar a uma cidade da inovação ligada às “energias do futuro", no âmbito de um protocolo de cooperação entre a Galp, a Câmara de Matosinhos e a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N).


A MVRDV vai liderar a equipa multidisciplinar que inclui empresas internacionais como Thornton Tomasetti, LOLA, LiveWork, além das portuguesas OODA e A400, acrescentou.


Esta equipa, composta por mais de 20 especialistas destas empresas, elaborarão um `masterplan´ [plano] nos próximos 12 meses, sublinhou.


A Galp explicou que a “nova cidade” dentro da cidade de Matosinhos, centrada na inovação, terá um desenvolvimento faseado.


O desenvolvimento do projeto da Galp, concretizado pela MVRDV, irá ocorrer em colaboração direta com Câmara Municipal de Matosinhos, a CCDR-N e a Universidade do Porto, ressalvou.


“Este é mais um passo importante no compromisso da Galp com o futuro de Matosinhos. Estamos certos de que, com a ajuda do MVRDV, seremos capazes de criar um distrito de inovação de classe mundial, focado em energia sustentável e em tecnologias avançadas”, afirmou Andy Brown, diretor-executivo da Galp, citado a nota informativa.


Além disso, acrescentou, irá criar novas oportunidades de negócio e emprego potenciando o tecido económico e social da comunidade.


Já a presidente da Câmara de Matosinhos, Luísa Salgueiro, disse que a ambição é que Matosinhos possa ter “a mais ambiental e tecnologicamente avançada área de atividade económica da eurorregião, que estreite as relações entre a academia e a indústria 4.0 e 5.0, continuando a contribuir para a criação de riqueza e ainda mais para a atração e fixação de emprego”.


Por sua vez, Enno Zuidema, `Studio Director e Urban Planner´[diretor de estúdio e urbanista] da MVRDV, destacou que o objetivo é contribuir para um novo futuro para os habitantes de Matosinhos, Porto e região Norte, concebendo o desenvolvimento de uma “área única que inclui inovação de topo, natureza, lazer e cultura”.


A cidade da inovação pretende potenciar "um ecossistema urbano, social e ambientalmente sustentável, incluindo comércio e serviços, hotelaria, restauração, indústria 5.0, habitação, equipamentos culturais e de lazer, com destaque para um ‘Green Park’ [parque verde]".


No dia 21 de dezembro de 2020, a Galp comunicou à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) a decisão de encerramento da atividade de refinação em Matosinhos, concentrando as suas atividades no complexo de Sines.

TAGS: Galp , Matosinhos , refinaria , inovação , MVRDV
Vai gostar de ver
VOLTAR