Quase metade das espécies migratórias a nível mundial estão em declínio

Quase metade das espécies migratórias a nível mundial estão em declínio

Quase metade das espécies migratórias a nível mundial (44%), listadas no CMS - Convenção sobre a Conservação das Espécies Migratórias de Animais Selvagens, um tratado de biodiversidade da ONU, estão em declínio, embora algumas espécies estejam a melhorar, de acordo com um relatório daquela entidade.

Além disso, quase todos os peixes (97%) referidos no CMS e mais de uma em cada cinco (22%) das espécies listadas estão em vias de extinção, concluindo o relatório que o risco de extinção está a aumentar para as espécies migratórias, incluindo as que não integram a listagem do CMS.

O relatório da ONU denota ainda que metade (51%) das Áreas Chave para a Biodiversidade identificadas como importantes para os animais migratórios listados no CMS não têm estatuto de proteção, sendo que 58% dos locais monitorizados, reconhecidos como importantes para as espécies listadas no CMS, estão a registar níveis insustentáveis ​​de doenças causadas pelo homem.

Segundo é referido, as duas maiores ameaças às espécies listadas no CMS e a todas as espécies migratórias são a sobreexploração e a perda de habitat devido à atividade humana. Três em cada quatro espécies listadas no CMS são afetadas pela perda, degradação e fragmentação de habitat, e sete em cada dez espécies listadas no CMS são afetadas pela sobreexploração (incluindo a captura intencional, bem como a captura acidental). De resto, as alterações climáticas, a poluição e as espécies invasoras também estão a ter impactos profundos nas espécies visadas.

Globalmente, são 399 espécies migratórias ameaçadas ou quase ameaçadas de extinção que não estão atualmente listadas no CMS.

 

Topo
Este site utiliza cookies da Google para disponibilizar os respetivos serviços e para analisar o tráfego. O seu endereço IP e agente do utilizador são partilhados com a Google, bem como o desempenho e a métrica de segurança, para assegurar a qualidade do serviço, gerar as estatísticas de utilização e detetar e resolver abusos de endereço.