Reciclagem de embalagens estagna nos  primeiros nove meses de 2023

Reciclagem de embalagens estagna nos primeiros nove meses de 2023

Nos primeiros nove meses do ano foram recolhidas seletivamente 347 774 toneladas de embalagens, um valor que, em termos globais, representa uma estagnação, já que o aumento foi de, apenas, 0,4%, quando comparado com o mesmo período do ano passado, anunciou a Sociedade Ponto Verde em comunicado.

Assim, escreve a entidade gestora, “ainda que Portugal continue a cumprir na reciclagem de embalagens, em todos os materiais, com exceção do vidro, tem de acelerar o ritmo para conseguir atingir as metas europeias definidas para 2025 no que diz respeito a este fluxo de resíduos urbanos. Daqui a dois anos, o país precisa de estar a reciclar 65% de todas as embalagens que são colocadas no mercado e a taxa global em fecho de 2022 é de 60%”.

Por material, os dados de desempenho do Sistema Integrado de Gestão de Resíduos Urbanos de Embalagens mostram que, entre janeiro e setembro, os portugueses encaminharam para reciclagem 110 859 toneladas de papel/cartão e 60 945 toneladas de plástico, o que significa um aumento de 4% e 2%, respetivamente.

Quanto ao vidro, foram depositadas 163 136 toneladas destes resíduos nos vidrões, ou seja, menos 3 969 toneladas, face a igual período em 2022. ~

O vidro “continua a requerer uma estratégia específica que mobilize todos os portugueses a reciclar, pelo menos, mais duas garrafas de vidro, por mês, o que permitira que as respetivas metas sejam não só cumpridas como superadas”, pode ler-se na nota de imprensa.

 

Topo
Este site utiliza cookies da Google para disponibilizar os respetivos serviços e para analisar o tráfego. O seu endereço IP e agente do utilizador são partilhados com a Google, bem como o desempenho e a métrica de segurança, para assegurar a qualidade do serviço, gerar as estatísticas de utilização e detetar e resolver abusos de endereço.