A escassa avaliação de competências

14.09.2020

Estão por definir e conhecer as necessidades de qualificações e competências no setor da Água e do Saneamento, que em Portugal reúne 100 mil profissionais. Nuno Campilho, colunista do Portal Ambiente Online, alerta para a importância de diagnosticar e desenvolver formação profissional adequada, em toda a cadeia.

 

«Não deviam os titulares de cargos de direção superior ser avaliados por um estrutura independente, quiçá, saída do regulador e com representantes da tutela e de associações do setor? E não devia existir uma academia de formação do setor, que permitisse habilitar, cada vez mais e cada vez melhor, profissionais que desempenham funções tão críticas, com as competências básicas e essenciais que não os deixassem, a maior parte das vezes, em autogestão?» questiona.

 

Leia tudo em: Nuno Campilho: Poderes fátuos ... saberes difusos

VOLTAR