Previsão da produção de energia renovável: onde a matemática é mais importante que o “artificial”

23.03.2020

Em artigo de opinião para o portal Ambiente Online, Ricardo Bessa ressalta a importância do financiamento e desenvolvimento de projetos de I&D na área de previsão de séries temporais aplicadas a sistemas elétricos de energia, área de investigação que a Europa abandonou “prematuramente, ao contrário dos E.U.A. e China, que continuaram a desenvolver I&D em modelos de previsão”.

 

Para o colunista “a integração da produção de base renovável no sistema elétrico de energia e mercado de eletricidade também apresenta desafios aos agentes de decisão devido à sua variabilidade e incerteza na previsão”, tornando-se “fundamental desenvolver novas ferramentas baseadas em inteligência computacional para apoiar os agentes de decisão e com elevada capacidade de interpretabilidade na gestão do risco, considerando o ser humano como um “componente” do processo de decisão”.

 

Ricardo Bessa afirma que o futuro “passa por uma hibridização entre modelos físicos, dados e características fundamentais do ser humano, como a memória, atenção e conhecimento empírico ou de domínio”. O colunista refere que “este é um cenário onde o Portugal “do digital” e “da energia renovável” se deve posicionar como um líder tecnológico e maximizar a competitividade das empresas portuguesas com investimento em I&D e colaborações com as universidades/institutos de I&D”.

 

Leia tudo em: Ricardo Bessa (Energia): Previsão da produção de energia renovável: onde a matemática é mais importante que o “artificial”

VOLTAR